Linha IFD Capitalizar Mid Caps



(Tranche A – em operação)

Enquadramento:

A linha de financiamento IFD Capitalizar Mid Caps, no montante de 200 milhões de euros, visa oferecer às Pequenas e Médias Empresas (PME) e Mid Caps portuguesas financiamento de longo prazo com menor custo, mediante a transferência para as empresas de condições de funding mais competitivas obtidas pela IFD junto de instituições financeiras internacionais. A verba alocada a esta linha corresponde a uma primeira tranche de um financiamento de €100 milhões, de um montante global aprovado de €250 milhões, concedido, à IFD, pelo Banco Europeu de Investimento (BEI).

O BEI é uma instituição de financiamento da União Europeia (UE), de capital detido pelos respetivos Estados-Membros, cujo objetivo é financiar projetos que contribuam para a concretização dos objetivos da UE, particularmente o apoio PME que constitui, desde há muito, uma das grandes prioridades desta instituição.

O acordo é o primeiro entre o BEI e a IFD e permitirá que esta disponibilize facilidades de crédito ao sistema bancário nacional com condições financeiras vantajosas.

Beneficiários:

PME e Mid Caps, conforme definido na Recomendação 2003/361/CE.

Condições de elegibilidade:

a) Para implementação de projetos de investimento no montante de:
• Até 25 milhões de euros, no caso de PME (até 250 trabalhadores);
• Entre 25 milhões de euros e até 50 milhões de euros, no caso de Mid Caps (até 3000 trabalhadores)
b) Apenas 20% do valor da linha poderá ser alocado ao financiamento de Subprojetos de Mid Caps;
c) Colocação em Beneficiários Finais (BF) que privilegiem o financiamento do investimento, preferindo as propostas de carteira de empréstimos a BF que mais se aproximem do referencial 70% investimento/30% fundo de maneio;
d) Duração média da carteira de empréstimos a BF similar à duração média do empréstimo concedido pela IFD, com preferência por durações mais longas;
e) Projetos que promovam a modernização, a inovação ou a internacionalização;
f) Exclusão de operações de refinanciamento de dívida existente;
g) A elegibilidade dos Subprojetos de investimento deverá obedecer às regras definidas pelo BEI e pela IFD.

Maturidade das operações:

Até 12 anos (possibilidade de carência de capital de até 4 anos)

Intermediários Financeiros:

Instituições de crédito portuguesas, tendo já sido assinados acordos com as seguintes entidades:
• Millenium BCP;
• Novo Banco.

voltar