Linha Capitalizar Mais

IFD-FD&G-LCGM-01/16 e IFD-FD&G-LCGM-02/17

(em operação)

A Linha Capitalizar Mais, com uma dotação global de 1.000 milhões de euros, é uma linha de crédito com garantia mútua enquadrada no Programa Capitalizar. Pretende-se, com a presente Linha de Crédito, promover o apoio ao financiamento de PME com projetos de reforço da capacitação empresarial para o desenvolvimento de novos produtos e serviços, ou com inovações ao nível de processos ou produtos.

Esta Linha de Crédito visa assegurar a continuidade e reforço das linhas de crédito já existentes, permitindo melhores condições de financiamento disponível às PME, nomeadamente através da redução do custo associado e do aumento dos limites máximos de financiamento por operação.

Para mais informações consulte o Documento de Divulgação e as FAQ.

Contacto fdg@ifd.pt.

Âmbito Territorial

Os projetos a financiar no âmbito da presente Linha de Crédito deverão estar localizados nas regiões NUT II dos Açores, Alentejo, Algarve, Centro, Lisboa e Norte, não podendo exceder os montantes definidos para cada uma destas regiões, conforme tabela seguinte:

Beneficiários Finais

Empresas certificadas por declaração eletrónica do IAPMEI como PME, com, pelo menos, um exercício de contas aprovado.

Operações Elegíveis

  • Operações que visem o reforço da capacitação empresarial para o desenvolvimento de novos produtos e serviços, ou ainda com inovações ao nível de processos, produtos, organização ou marketing;
  • Operações de financiamento destinadas a investimento novo em ativos fixos corpóreos ou incorpóreos e ainda ao aumento de fundo de maneio associado a um efetivo incremento da atividade decorrente do investimento, em montante e proporção justificada em termos económicos e de negócio, em qualquer caso limitado, a um máximo de 30% do investimento associado ao projeto ou €500.000;
  • Empresas com candidaturas aprovadas no âmbito do programa Portugal 2020 podem, ao abrigo da presente Linha de Crédito, financiar despesas não elegíveis nos termos mencionados no artigo 7.º e 52.º da Portaria n.º 57-A/2015, de 27 de fevereiro, incluindo fundo de maneio, desde que não seja ultrapassado 1/6 do volume de negócios previsional no primeiro ano após a conclusão do projeto e limitado a um máximo de €500.000. Neste âmbito, as empresas podem apresentar candidaturas até dois anos após a conclusão do projeto de investimento alvo de candidatura ao programa Portugal 2020.
  • Operações que visem a aquisição de imóveis afetos à atividade empresarial. Neste caso, o montante máximo destinado à aquisição de imóveis, que não terrenos, não pode exceder 50% do montante total de financiamento aprovado para o beneficiário final ao abrigo da presente Linha de Crédito. No caso particular de terrenos, não construídos ou construídos, o montante máximo está limitado a 10% do total de despesa elegível para a operação. O apoio à aquisição de terrenos ou outros imóveis não é permitido a empresas dos CAE da Divisão 68 (atividades imobiliárias).

Montante Máximo de Financiamento por Empresa

  • O valor da garantia, a prestar pela SGM, não pode exceder os €4.000.000 por empresa;
  • No caso de o apoio ser concedido no âmbito do Regulamento (UE) n.º 1407/2013 (regime de minimis), o valor da garantia não pode exceder €1.500.000 (ou de €750.000 para empresas com atividade no transporte comercial rodoviário) com duração da garantia de cinco anos, ou de €750.000 (ou de €375.000 para empresas com atividade no transporte comercial rodoviário) com duração da garantia de dez anos, no cumprimento do prazo definido no ponto seguinte.

Garantia Mútua

As operações de crédito a celebrar no âmbito da Linha de Crédito beneficiam de uma garantia autónoma à primeira solicitação prestada pela Sociedade de Garantia Mútua (SGM), destinada a garantir até 80% do capital em dívida em cada momento do tempo.

Bonificação da Comissão de Garantia

A comissão de garantia aplicável pela SGM a cada uma das operações será bonificada pelo Fundo de Dívida e Garantias (FD&G), gerido pela IFD, de acordo com a Tabela A constante do Anexo I do Documento de Divulgação.

Juros a Cargo do Beneficiário

Os juros serão integralmente suportados pelas empresas beneficiárias e serão liquidados trimestral e postecipadamente, para a conta indicada no contrato de financiamento.

  • Na modalidade de taxa de juro fixa, a taxa a aplicar à operação corresponde à taxa swap da Euribor para o prazo correspondente ao prazo da operação arredondado para o múltiplo de ano imediatamente superior, acrescida de um spread, com o limite máximo previsto na Tabela A constante do Anexo I do Documento de Divulgação. A taxa swap da Euribor será a divulgada na página da Intercontinental Exchange (ICE), em www.theice.com/marketdata/reports/180, reportada ao fixing das 11.00 horas do segundo dia útil anterior à data da contratação;
  • Na modalidade de taxa variável, a taxa a aplicar à operação corresponde à taxa Euribor a 3, 6 ou 12 meses, acrescida de um spread, com o limite máximo previsto na Tabela A constante Anexo I do Documento de Divulgação. A taxa Euribor será apurada de acordo com um dos seguintes critérios:
    1. Média aritmética simples das cotações diárias da Euribor respetiva (3, 6 ou 12 meses) do mês anterior ao período de contagem de juros. Caso o prazo do Indexante seja maior que o período de contagem de juros, a revisão do Indexante apenas ocorrerá no início de cada período de contagem de juros iniciado após o decurso do prazo do Indexante; ou
    2. Taxa verificada no segundo dia útil anterior ao início de cada período de contagem de juros. Caso o prazo do Indexante seja maior que o período de contagem de juros, a revisão do Indexante ocorrerá no início de cada período de contagem de juros iniciado após o decurso do prazo do Indexante.
% Garantia Mútua Escalão Spread Máximo Global do Banco
PME Líder Não PME Líder
80% Escalão A 1.860% 2.010%
Escalão B 2.450% 2.600%
Escalão C 3.250% 3.400%

Prazo das Operações:

  • Até 12 anos, inclusive, iniciando-se a contagem do prazo na data de contratação da operação.
  • No caso de a contragarantia ser enquadrada ao abrigo do Regulamento (UE) n.º 1407/2013 (regime de minimis), o prazo do financiamento é de até 10 anos, inclusive, iniciando-se a contagem do prazo na data de contratação da operação.

Período de Carência de Capital: até 3 anos, a definir entre a empresa e o Banco.

Amortização de Capital: Prestações constantes, iguais e postecipadas, de periodicidade trimestral.

Lista de Bancos Aderentes

ABANCA Corporación Bancaria, S.A., Sucursal em Portugal
Banco EuroBic
Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S.A.
Banco BPI, S.A.
Banco Comercial Português, S.A.
Banco INVEST, S.A.
Banco L. J. Carregosa, S.A.
Banco Santander Totta, S.A.
Bankinter, S.A. – Sucursal em Portugal
Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo, CRL
Caixa Económica Montepio Geral
Caixa Geral de Depósitos, S.A.
Novo Banco, S.A.
Novo Banco dos Açores, S.A

Listagem de operações contratadas

Consultar aqui.

Documentos relevantes do concurso:

Portugal Continental

Açores

Porto, 20 de dezembro de 2017

voltar